"Ser criativo nem sempre é inovar, às vezes significa olhar para trás e trazer o conhecido de forma inesperada." - Alex Atala
“Nothing is more interesting than that something that you eat.” - Gertrude Stein - Gastronomica-The Journal of Food and Culture
Mantemos um senso comum com relação a higiene medieval que generalizou-se como verdade, porém as pessoas na Idade Média se banhavam sempre que possível e tentavam se manter limpas.
Hoje como antigamente o cuidado com a limpeza na cozinha e na higienização dos alimentos é um procedimento de extrema importância: lave bem as mãos antes de usar a cozinha; limpe os utensílios que irá usar, peças de equipamentos e local de trabalho; higienize corretamente dos vegetais - legumes, hortaliças e frutas. E NÃO lave as carnes.

terça-feira, outubro 27, 2009

FÓSFORO

Antes da invenção dos fósforos, fazer fogo não era nada fácil. Pode-se até dizer que era fogo, mesmo.

 Embora a humanidade tenha apreendido a acender fogo na última Era Glacial, só a partir de cerca de 4000 a.C. temos registros dos métodos utilizados. A imagem de dois pedaçõs de madeira sendo friccionados junto a uma pedra (de preferência,QUARTZO ou SÍLEX), tão famosa e presente em nossas lembranças, parece mesmo ser a que mais se aproxima à realidade.

 Durante muito tempo, foi assim mesmo, riccionando-se pedaços de madeira e pedras, que se obtinha fogo. Na Idade Média, este princípio serviu para o surgimento dos primeiros isqueiros. Trata-se de uma caixa, contendo em seu interior um material facilmente inflamável, como pano ou serragem. Sobre este material inflamável, denominado ISCA (daí o nome isqueiro), caíam as faíscas que eram produzidas por algumas pedras, quando estas entravam em atrito.

 Foi este mesmo princípio doatrito que serviu para a invenção dos palitos de fósforos. Embora o elemento fósforo e suas propriedades inflamáveis (combina-se tão facilmente ao oxigênio que entra em combustão só de entrar em contato com o ar) tivessem sido descobertos em 1669, só muito tempo depois conseguiu-se chegar à fabricação dos palitos. Em 1845, a descoberta do fósforo amorfo, por Anton Von Schrotte, levou à fabricação de palitos de segurança. Nestes, apenas uma porção dos ingredientes para a combustão encontra-se na cabeça do palito. Já na surperfície de atrito da caixinha de fósforos é passada uma camada de fósforo amorfo. Assim, o palito só pega fogo após o atrito da cabeça dele nesta superfície de fósforo amorfo. Fácil e seguro, pois, do contrário, muita caixa de fósforo sairia explodindo por aí.

Desde a descoberta do fogo (um dos maiores marcos do desenvolvimento da história da humanidade), o homm percebeuque dominá-lo seria fundamental para a segurânça e evolução da espécie. A invenção do fósforo, com todos os seus problemas, idas e vindas, dá uma boa mostra da dificuldade que isso representou. Mas aí está: a chama da humanidade continua acessa, tremulando quente e forte nos quatro cantos da Terra.

GRANDES INVENÇÕES KNORR
(história e curiosidade sobre alguns dos prinipais utensílios e produtos que existem hoje na cozinha)

Nenhum comentário: