"Ser criativo nem sempre é inovar, às vezes significa olhar para trás e trazer o conhecido de forma inesperada." - Alex Atala
“Nothing is more interesting than that something that you eat.” - Gertrude Stein - Gastronomica-The Journal of Food and Culture
Mantemos um senso comum com relação a higiene medieval que generalizou-se como verdade, porém as pessoas na Idade Média se banhavam sempre que possível e tentavam se manter limpas.
Hoje como antigamente o cuidado com a limpeza na cozinha e na higienização dos alimentos é um procedimento de extrema importância: lave bem as mãos antes de usar a cozinha; limpe os utensílios que irá usar, peças de equipamentos e local de trabalho; higienize corretamente dos vegetais - legumes, hortaliças e frutas. E NÃO lave as carnes.

sábado, fevereiro 12, 2011

PRATOS COM OVOS - [PARTE DE "UM TRATADO DA COZINHA PORTUGUESA DO SÉCULO XV"]

OVOS MEXIDOS
Faz-se uma calda rala, com um pouco de água-de-flor, levando-se o tacho ao fogo, para que ferva lentamente.
Em seguida colocam-se nessa calda fatias de pão dormido, e assim que estiverem cozidas, retirem-nas e deitem-nas numa travessa.
Batam uma dúzia de ovos, e derramem-na na calda.
Assim que levantar fervura, comecem a mexer tudo lentamente, sempre para o mesmo lado, a fim de que os ovos não se desfaçam.
Depois de cozidos retirem os ovos com uma escumadeira, colocando-os sobre as fatias de pão.
Sirvam polvilhados com açúcar e canela.

CANUDOS
Façam uma massa como de pastel, que leve um pouco de açúcar e uma colher de manteiga. Depois de muito bem sovada estendam-na com um rolo, sobre a mesa. Façam os canudos do tamanho que desejarem, e fritem-nos ligeiramente na manteiga; recheiem-nos então com o mesmo doce de ovos da receita precedente, passando-os depois por uma calda grossa. Deixem-nos secar numa peneira, e a seguir envolvam-nos em açúcar e canela.

OVOS DE LAÇOS
Batam muito bem dez gemas, duas claras e duas colheres de farinha de trigo.
Peguem uma caçarola pequena e não muito rasa, e levem-na ao fogo, com manteiga que dê até o meio.
Quando a manteiga estiver bem quente, ponham a massa num saco de confeitar, com um bico bem fino, e espremam-na na manteiga fervente, dando-lhe a forma de laços.
Assim que a massa estiver dourada, retirem-na da panela e ponham-na a escorrer numa peneira.
Sirvam polvilhados com açúcar e canela.

PASTÉIS DE MARMELOS
Façam uma massa de pastel bem sovada, e deixem-na descansar.
Tomem marmelos, descasquem-nos e façam-nos em quartos.
Cozinhem alguns ovos, até ficarem bem duros, tomem-lhes só as gemas e partam-nas ao meio.
Passem uma fervura em alguns tutanos de vaca, e cortem-nos em fatias bem finas.
Abram então a massa, bem delgada, e vão-se fazendo os pastéis, colocando-se como recheio, em camadas,
açúcar com canela, um quarto de marmelo, meia gema cozida e um pouco de tutano, terminando por uma camada de açúcar e canela, um pouquinho de manteiga e uma pitada de sal.
Leva-se ao forno regular: quando os pastéis estiverem meio assados, passa-se um pouco de manteiga sobre
eles, borrifando-os em seguida com água-de-flor ou água-de-rosas.
Não deixem tostar muito.

Nenhum comentário: