----------------------------------------------- */ ----------------------------------------------- */
"Ser criativo nem sempre é inovar, às vezes significa olhar para trás e trazer o conhecido de forma inesperada." - Alex Atala
“Nothing is more interesting than that something that you eat.” - Gertrude Stein - Gastronomica-The Journal of Food and Culture
Mantemos um senso comum com relação a higiene medieval que generalizou-se como verdade, porém as pessoas na Idade Média se banhavam sempre que possível e tentavam se manter limpas.
Hoje como antigamente o cuidado com a limpeza na cozinha e na higienização dos alimentos é um procedimento de extrema importância: lave bem as mãos antes de usar a cozinha; limpe os utensílios que irá usar, peças de equipamentos e local de trabalho; higienize corretamente dos vegetais - legumes, hortaliças e frutas. E NÃO lave as carnes.

terça-feira, fevereiro 24, 2015

TARTINE

"Gratias tibi tartinum"
Durante a Segunda Guerra Civil da República de Roma (ou Guerra Civil Cesariana), entre 19 de abril - 6 de setembro de 49 a.C., Gaio Giulio Cesare ordena o cerco a Massília, um reduto de Pompeu enquanto marcha para Hispanha. São três legiões (XVII, XVIII e XIX) liderada por Gaius Trebonius usando vários maquinários da engenharia bélica romana, como torres de cerco, rampas e aríetes enquanto a frota de  frota de doze navios de Décimo Júnio Bruto Albino atacava a cidade pelo mar. 

Em meio a esse cenário de guerra civil o sargento Menuccus leva ao Imperador, que retornará da campanha em Hispanha uma fatia de pão onde estavam dispostas elegantemente duas azeitonas e anchovas. Hoje, podemos ver como um antepasto primitivo da atual tapenade (creme à base de anchovas, azeitonas, alcaparras e alho). César teria exclamado em latim: "Gratias tibi tartinum" (Graças/Obrigado pelo(a) pão/tartine). Este nome sobreviveu aos séculos e civilizações, para descrever esta forma de apresentação dos pratos.

Existe até hoje uma infinidade de variações de receitas de tartine desde o mais simples ao mais sofisticado, adaptando-se às culturas culinárias do mundo.

Em Roma, local de nascimento de Júlio César, ainda é costume oferecer um pão com azeite ao seu vizinho que acabou de chegar, por respeito, talvez referindo-se implicitamente a dedicação do sargento ao Imperador .

SOBRE A TARTINE DE MENUCCUS: era muito simples pois era uma fatia de pão regada por um fio de azeite ou mesmo pelo óleo de conserva das anchovas adornada com azeitonas forçosamente desencaroçada.


TARTINE DE PROVENCE
ILUSTRATIVA

INGREDIENTES

1 baguette 
1 dente de alho cortado ao meio 
12 azeitonas pretas sem caroço
1 pimenta vermelha picada 
Feijão cozido q.b. (opcional: fava)
2 tomates picados; 
4 filés de anchova 
Azeite 
1 colher de sopa de suco de limão ou vinagre de vinho 
Sal
Pimenta do reino moída na hora

PREPARAÇÃO

Corte o pão em meio longitudinalmente e esfregue as superfícies cortadas com alho. 
Numa processador de alimentos, misture as azeitonas, feijão, anchovas e pimenta, pimentão e tomate, sendo que esse três não existiam na Idade Média. 
Misture o azeite e o suco de limão. Ajuste o tempero.
Espalhe a mistura grossa por sobre o pão. 
Pode ser comido frio ou se optar pode coloca-lo num forno a 180°C por 15 min.
Antes de servir coloque um fio de azeite e coloque alguns pedaços de tomates para enfeitar.

Nenhum comentário: