"Ser criativo nem sempre é inovar, às vezes significa olhar para trás e trazer o conhecido de forma inesperada." - Alex Atala
“Nothing is more interesting than that something that you eat.” - Gertrude Stein - Gastronomica-The Journal of Food and Culture
Mantemos um senso comum com relação a higiene medieval que generalizou-se como verdade, porém as pessoas na Idade Média se banhavam sempre que possível e tentavam se manter limpas.
Hoje como antigamente o cuidado com a limpeza na cozinha e na higienização dos alimentos é um procedimento de extrema importância: lave bem as mãos antes de usar a cozinha; limpe os utensílios que irá usar, peças de equipamentos e local de trabalho; higienize corretamente dos vegetais - legumes, hortaliças e frutas. E NÃO lave as carnes.

domingo, fevereiro 21, 2016

BAGDÁ EGGS

Uma variação da receita Baid masus.

INGREDIENTES

1 cebola média cortada em cubos,
2 ovos
1 dente de alho esmagado
Manteiga
Cominho
Páprica picante
Iogurte
Menta (hortelã), picada
Pouco de suco de limão
Pães pita (pão sírio) tostados

PREPARAÇÃO

Derreta uma noz de manteiga em uma frigideira e cozinhe as cebolas suavemente até que eles começam a amolecer. Adicione o alho e cozinhe por alguns minutos. Esprema o suco de meio limão, em seguida, quebre os ovos.
Polvilhe cada ovo com um pouco de cominho e páprica, além de um pouco de sal e pimenta, em seguida, coloque a tampa e deixe cozinhar até que os ovos estejam cozidos. 

Coloque os pães pita no forno por alguns minutos até ficarem tostadinhos virando-os a metade do tempo. Abra-os ao meio com o auxílio de uma faca de lâmina arredondada.

Em uma pequena panela separada, derreta outra noz de manteiga e polvilhe um pouco de cominho extra e páprica. Deixe em fogo baixo para obter uma mistura dourada e levemente torrada.

Quando os ovos estiverem cozidos, corte o pão pita e organizar em um prato. Coloque um ovo em cima, certificando-se de começar a abundância das cebolas também. Regue com um pouco da mistura torrada e decore com uma quantidade significativa de iogurte e algumas folhas de menta (hortelã).

2 comentários:

Marco Aurélio (definitivamente, não é Marcos!) disse...

Muito contente em ver alguma fonte dedicada e atualizada da gastroarqueologia. Sou um entusiasta do tema e agradeço pela sua dedicação

Djalma Cook disse...

Marco Aurélio.

GRAMMARCY!