----------------------------------------------- */ ----------------------------------------------- */
"Ser criativo nem sempre é inovar, às vezes significa olhar para trás e trazer o conhecido de forma inesperada." - Alex Atala
“Nothing is more interesting than that something that you eat.” - Gertrude Stein - Gastronomica-The Journal of Food and Culture
Mantemos um senso comum com relação a higiene medieval que generalizou-se como verdade, porém as pessoas na Idade Média se banhavam sempre que possível e tentavam se manter limpas.
Hoje como antigamente o cuidado com a limpeza na cozinha e na higienização dos alimentos é um procedimento de extrema importância: lave bem as mãos antes de usar a cozinha; limpe os utensílios que irá usar, peças de equipamentos e local de trabalho; higienize corretamente dos vegetais - legumes, hortaliças e frutas. E NÃO lave as carnes.

segunda-feira, dezembro 26, 2016

Roasted Onions in Brown Gravy - CEBOLA ASSADA EM MOLHO BROWN

A maioria dos pesquisadores concordam que a cebola vem sendo cultivada há cinco mil anos ou mais. Considerando que as cebolas cresceram selvagens em várias regiões, elas provavelmente foram consumidas por milhares de anos e foram “domesticadas” simultaneamente no mundo inteiro. Cebolas podem ser uma das culturas mais antigas porque eram menos perecíveis que outros alimentos, eram transportáveis, de fácil crescimento e podiam ser cultivadas em uma grande variedade de terras e climas. Além disso, a cebola era útil para sustentar a vida humana. Cebolas preveniram a sede e poderiam ser desidratadas e preservadas para consumo posterior, quando comida fosse escassa.

Pedânio Dioscórides (que teve seu auge entre 50-70) – é considerado o fundador da farmacognosia (parte da farmacologia que trata das drogas ou substâncias medicinais em seu estado natural, antes de serem manipuladas) através da sua obra De materia medica, a principal fonte de informação sobre drogas medicinais desde o século I até ao século XVIII, observou vários usos medicinais de cebolas. Os gregos usaram cebolas para fortificar atletas para os Jogos Olímpicos. Antes da competição, os atletas consumiam quilos de cebola, bebiam suco de cebola e esfregavam cebolas em seus corpos.

Os romanos comiam cebolas regularmente e levaram-nas em viagens para suas províncias na Inglaterra e na Alemanha. Caio Plínio Segundo (em latim: Gaius Plinius Secundus; Como, 23 — Estábia, 79), conhecido também como Plínio, o Velho, foi um naturalista romano que no ano de 77 escreveu História Natural, um vasto compêndio das ciências antigas distribuído em trinta e sete volumes. Escreveu sobre Pompéia, cidade que morava e deixou relatos sobre o uso de cebolas e couves. Plínio, o Velho catalogou as crenças romanas sobre a eficácia da cebola para curar a visão, induzir o sono, curar feridas na boca, mordidas de cães, dores de dentes, disenteria e lombalgias. Em escavações na cidade sinistrada, os arqueólogos encontraram jardins onde, como Plínio dissera, cresciam as cebolas. Os bulbos haviam deixado cavidades reveladoras no chão. O romano Apicius talvez o primeiro Chef e autor de um dos primeiros livros de receitas (que data do oitavo e nono séculos A.D.), incluiu muitas referências a cebolas.

As origens do nome da cebola deve ser romana ou pelo menos latino. O nome em Latin antigo ‘unio’ foi usado descrever uma espécie que se assemelhava a uma simples pérola branca. Isto serviu da base para mais tarde formar a palavra em francês "oignon" e mais tarde no inglês, "onion".

Na Idade Média, os três principais vegetais da cozinha européia foram o feijão, repolho e cebola - "cepe". Além de servir como um alimento tanto para os pobres e os ricos, as cebolas foram prescritas para aliviar dores de cabeça, picadas de cobra e perda de cabelo. Eles também foram usados como pagamentos de aluguel e presentes de casamento.

Os latinos, segundo Plutarco, proibiam o uso do bulbo, porque acreditavam que ele crescia quando a Lua diminuía. Quanto ao cheiro, provocava um sentimento de força vital. Virtudes afrodisíacas lhe são igualmente atribuídas, tanto por sua composição química quanto por suas sugestões imaginativas.

Roasted Onions in Brown Gravy
CEBOLA ASSADA EM MOLHO BROWN 

INGREDIENTES

1 quilo cebola brancas ou roxas (cerca de 6 und) 
50 g de gordura (cozida - de porco assado) (*)
50 g de sopa de farinha 
500 ml de caldo de carne (**)
Sal e Pimenta q.b.

PREPARAÇÃO

Enrole cada cebola em papel alumínio e asse no forno 260°C por cerca de uma hora ou até ficar macio. Retire as cebolas do forno e desembrulhar-los. A casca deve ser grelhada e caramelizada. Uma vez que as cebolas são frias o bastante para segurar, retire as cascas. 

Coloque uma panela em fogo médio, acrescente gordura e adicione a farinha e temperos, mexendo até obter uma assa homogêneo. Aqueça até borbulhar e com a cor levemente marrom (castanho). Junte o caldo aos poucos e mexendo sempre até que o molho engrosse. Continue a cozinhar, mexendo constantemente por 2-3 minutos.

Coloque as cebolas numa travessa, despeje o molho por sobre as cebolas. Leve a travessa ao forno por 10-15 minutos numa temperatura de 180°C  para aquecer

(*) opção: azeite, caldo de legumes

FONTE:

2 comentários:

Alexandre Soares disse...

Maravilhoso!!

Djalma Cook disse...

OBRIGADO, ALEXANDRE.
Se for fazer essa receita tire fotografia para que eu possa publicar junto a essa receita.