"Ser criativo nem sempre é inovar, às vezes significa olhar para trás e trazer o conhecido de forma inesperada." - Alex Atala
“Nothing is more interesting than that something that you eat.” - Gertrude Stein - Gastronomica-The Journal of Food and Culture
Mantemos um senso comum com relação a higiene medieval que generalizou-se como verdade, porém as pessoas na Idade Média se banhavam sempre que possível e tentavam se manter limpas.
Hoje como antigamente o cuidado com a limpeza na cozinha e na higienização dos alimentos é um procedimento de extrema importância: lave bem as mãos antes de usar a cozinha; limpe os utensílios que irá usar, peças de equipamentos e local de trabalho; higienize corretamente dos vegetais - legumes, hortaliças e frutas. E NÃO lave as carnes.

terça-feira, março 27, 2018

STUFFED AUBERGINES - 1570


A origem do nome EGGPLANT é datada da época da ocupação britânica na Índia, lugar onde, na época, as variedades de berinjelas brancas com formato ovoide eram muito populares. As cores das berinjelas são o roxo, branca, verde, rosa ou preto.

Foi domesticada (ou seja, as espécies selvagens começaram a ser cultivadas pelo homem) na região Indo-Burma que se estendem pelo leste da Índia, sul da China e Sudeste da Ásia.

Em muitos documentos em língua sânscrito, originários por volta de 300 a.C, sugerem que a berinjela era muito popular como alimento e como planta de uso medicinal (shakasreshta significa “vegetal excelente” e rajakushmand, “melão real”).

FONTE:

STUFFED AUBERGINES

A receita, retirada do OPERA DE BARTOLOMEO SCAPPI é realmente bastante rápida e fácil de preparar, especialmente pelos padrões medievais. Eu fiz a versão totalmente de Quaresma, que é inteiramente vegana, mas eu suspeito que também seria simplesmente delicioso, com um pouco de linguiça adicionado. Como está ainda é deliciosamente saborosa e única. O açafrão transforma o caldo em um amarelo brilhante que contrasta bem com a pele escura da berinjela. O mix peculiar de especiarias e ervas se combinam para uma mistura de sabor diferente de tudo que eu provei, mesmo no reino da culinária histórica. Em resumo é delicioso.

INGREDIENTES

4 pequenas berinjelas (com menos de 20 cm de comprimento)
2 dentes de alho
1/4 de xícara de nozes e amêndoas, picadas
1 colher de chá de mix de ervas
1 xícara de pão ralado
1 colher de sopa azeite
1 colher de sopa vinagre de vinho
Sal, pimenta, canela moída e cravo q.b.

PARA O CALDO

Água
Pitadas de açafrão
Uma boa pitada de sal, pimenta, canela, cravo e mix de ervas 
1 colheres de sopa azeite
1 colheres de sopa vinagre de vinho

PREPARAÇÃO

Pegue suas berinjelas e corte as partes superiores deles o mais próximo possível do caule. Tomando um boleador de melão, uma concha de sorvete ou uma colher, mas isso é mais difícil, cuidadosamente escave o interior de cada berinjela, salvando o excesso de berinjela. Coloque o miolo das berinjelas num bowl (ou se tiver um processador de alimentos), juntamente com o alho, nozes, amêndoas, mix de especiarias e pão ralado. Depois que tiver bem incorporado adicione o azeite e o vinagre, e volte a misturar todos os ingredientes.

Distribua a mistura de maneira uniforme por entre as quatro partes da berinjelas (canoas), pressionando-as até que esteja cheio. Coloque as berinjelas cheias em uma panela pequena com lados altos e encha 2/3 da berinjela com água. Adicione os ingredientes do caldo na água. Se preferir pode optar por uma forma com tampa ou tape com uma folha de alumínio.

Com a panela tampada cozinhe em fogo médio-alto durante 15 a 20 minutos, ou até as berinjelas estarem macias. Para servir, coloque cada berinjela em uma tigela larga cuidadosamente cortada pela metade. Despeje um pouco do caldo da panela e sirva! Como acompanhamento, distribua pães.

PARA MAIS RECEITAS da OPERA DE BARTOLOMEO SCAPPI consulte #opera.

Nenhum comentário: