"Ser criativo nem sempre é inovar, às vezes significa olhar para trás e trazer o conhecido de forma inesperada." - Alex Atala
“Nothing is more interesting than that something that you eat.” - Gertrude Stein - Gastronomica-The Journal of Food and Culture
Mantemos um senso comum com relação a higiene medieval que generalizou-se como verdade, porém as pessoas na Idade Média se banhavam sempre que possível e tentavam se manter limpas.
Hoje como antigamente o cuidado com a limpeza na cozinha e na higienização dos alimentos é um procedimento de extrema importância: lave bem as mãos antes de usar a cozinha; limpe os utensílios que irá usar, peças de equipamentos e local de trabalho; higienize corretamente dos vegetais - legumes, hortaliças e frutas. E NÃO lave as carnes.

LE ROMAN DU COMTE D'ANJOU - O romance do Conde de Anjou

JEHAN MAILLART, Le roman du comte d'Anjou, 1316
O romance do Conde de Anjou
éd. Mario ROQUES, Paris, Champion, 1964

O Romance do Conde de Anjou retrata as divagações da uma jovem mulher piedosa fugir dos excessos do desejo masculino e hostilidade de uma poderosa condessa. Estes são os ingredientes deste romance de aventura em verso, escrito no início do século XIV, que aborda a temática abundante de mulheres perseguidas. Jean Maillard se levanta contra a ilusão cortês construída pela literatura que o precedeu. Ele também define o papel das mulheres na sociedade e na espiritualidade medieval. O texto abre, assim, à diferentes manifestações de nossa condição humana.

LAMENTOS DA CONDESSA DE ANJOU
A jovem condessa contempla tristemente um pão negro que lhe servem no casebre camponês onde se refugiou.

Quando a jovem provou o pão 
duro, preto e mofado
veio um lamento do fundo do seu
coração e não deixou de repetir:
"Pobre de mim, desgraçada,
que nunca tinha conhecido uma tal vida,
uma vez que em casa dos meus pais me serviam
todas as espécies de pratos caros e delicados,
capões assados, gansos pequenos, frangas,
cisnes, pavões, perdizes, faisões,
garças-reais, aves pernaltas, tão engraçadas,
e caça grossa de todas as maneiras e feitios
apanhada à força por cães correndo:
veados, gamos, coelhos, javali selvagens,
que vivem naquelas matas,
e toda a boa caça;
peixes, tinha-os aos montes,
dos melhores de toda a região:
esturjões, salmões e patrúcias,
congos, peixes-roncadores e grandes bacalhaus,
salmonetes e gordos e grandes rodovalhos
e arenques frescos e eperlanos,
solhas gordas, sargos e linguados,
doirados e caldo de lúcio e mexilhões;
tinha de imensas maneiras
peixes de lagoas e de rios,
todos eles preparados com imenso cuidado
de acordo com o seu direito e a sua natureza,
com pimenta, com molho camelino;
comia galantina de lúcios grandes,
grandes lampreias da mesma maneira,
robaletes e carpas, peixinhos de água doce e bremas,
preparadas doutras maneiras;
tinha trutas recheando empadas,
bogas assadas,
escondidas em sumo de sementes,
e grandes enguias em massa,
ou ainda assadas sem perdas de tempo,
e os grandes salmões fumados
como devem ser habituados
os mestres cozinheiros que conhecem as máximas
para os preparar.
Os itens disponíveis, Tencas (Tinca tinca - peixe de água doce) 
abertas e viradas ao contrário;
barquillos y obleas [tipos de wafers]
tortas de queijo,
[variedade de pastelarias salgados]
flans cremosas,
pastelarias bem recheadas medula boi
passada pelo frigideira,
maçãs condimentados, pastelitos de glória,
panquecas, rosquinhas e
bolinhos de carne 
ou peixe picado.
Lá bebiasse apreciosos e deliciosos vinhos com
pimenta, ou feito com mel e especiarias,
vinhos perfumados com gengibre, a rosa e vinho
outros aromatizantes,
Vinhos da Gasconha de cor brilhante,
Vinhos de Montpellier e de Rochelle,
Vinhos da Garnacha e de Castela,
Vinhos de Beaune e Saint-Pourçaine
tido por seus afortunados provadores 
como saudáveis,
os de Auxerre, os de Anjou, os de Orleans,
de Gâtinais, de Laonnais, de Beauvaisis, e de Saint-Jean d'Angely;
nenhum deles voltarei a provar,
só beberei água de duas maneiras:
às vezes, claro, às vezes turva."

(vv. 1099-1162)

Nenhum comentário: